Fórmula Café

Arquivo para a categoria “Brasil”

Senna vive

GOIÂNIA – Fiquei muito chateada quando, no começo do ano, percebi o primeiro de maio ocupado por uma corrida. Que respeito esta categoria tem com a morte do maior mito da sua história? Como puderam quebrar o meu dia de luto com uma corrida? Primeiro de maio não é dia de piloto alegre por vencer, ou triste pelo azar. Primeiro de maio é aquele dia especial que a Globo chora a perda do Santo Ayrton. Que Galvão lamenta mais um ano de saudade. Que eu me emociono com qualquer VT de Brasil, 91 (isso acontece todos os dias, mas primeiros de maio me deixam mais à flor da pele). Mas a ficha caiu!

Poucos dias atrás, após meses me aguentando reclamar da corrida neste dia, meu pai disse que “o Senna iria querer assim”. O Ayrton, certamente gostaria de ver-nos o homenageando com aquilo que ele mais amava.

Sem choro, sem vela. Corrida. Por que o espírito competitivo, dedicado e apaixonado pela velocidade de Ayrton Senna ainda está aqui. Senna vive. A cada GP disputado, a cada vitória suada e merecida, a cada novo fã desta categoria, Senna vive.

Obrigada, Ayrton. Não preciso detalhar os motivos. Apenas, obrigada. Você sempre será lembrando nas pistas e fora delas.

Anúncios

F1 Globeleza

GOIÂNIA –

A Globo, na transmissão do primeiro GP do ano, trouxe novidades. Um estúdio novo. Convidados especiais. Um Fórmula 1 de papelão entre o sofá e a mesa do narrador e comentaristas.

Todo mundo reclamou. Achou horrível. De mal gosto. “Cala a boca, Galvão”. E essas coisas que brasileiro anti-Globo ama falar na internet – como se fosse parecer mais ‘cult’, mais ‘cabeça’ falar mal da emissora e do narrador.

Não, eu não achei péssimo. Não, eu não achei maravilhoso.

A iniciativa foi ótima, né? A RGTV está tentando aumentar a audiência da F1. E temos que concordar que a dinamização da transmissão é uma boa tacada.

Ficou legal? Mais ou menos! É legal chamar outros esportistas, famosos que acompanham a F1, pilotos e ex-pilotos. Mas podia ter menos blábláblá e mais F1! Mais imagens do grid, que estava interessantíssimo antes da largada. Mais discussões sobre a categoria, menos música.

Mas gente, por favor! Vamos tirar o chapéu. A Globo está tentando! Uma hora eles acertam. Vocês tem essa mania de reclamar de tudo. Saibam reconhecer quando alguém tenta fazer alguma coisa legal.

Pátria amada F1!

Título por Lara Bianca, que entende bem de amor à pátria F1
GOIÂNIA – Recentemente, duas amigas disseram que torciam para o Felipe Massa. “Só por que ele é brasileiro?”, perguntei. Elas responderam positivamente. A partir daí, as duas entraram em uma discussão comigo sobre quem eu deveria torcer na F1. É importante ressaltar que as duas não gostam de F1. Não acordam 3h da manhã em um domingo para assistir uma corrida. Não sabem nada da história da F1. E principalmente, não entendem de automobilismo.

“Você não ama o Brasil”, me disseram quando eu afirmei que não era fã do Massa. Que fique claro, admiro bastante meu conterrâneo, é um ótimo piloto, merecia o título de 2008, mas não, não sou fã do Massa. E por que isso faz de mim menos nacionalista do que quem não acompanha a F1 e “torce” por ele pelo fato de ter nascido no Brasil?

Quem é fã de F1 sabe muito bem que não torcemos por bandeira. Torcemos para o piloto! Como já disse Alessandra Alves na sua coluna no GPTotal, “O fã de automobilismo vibra e fica na ponta da cadeira ao ver uma disputa linda como […] de Alonso e Hamilton, […] não por serem espanhol e inglês, mas por serem extraordinários pilotos. Não somos tacanhos a ponto de torcer ou de gostar de um esporte apenas porque tem um brasileiro vencendo. Não somos xenófobos e queremos continuar não sendo. Fórmula 1 é só um esporte, não é guerra.”

Se F1 fosse apenas bandeira, eu não poderia ser fã de Juan Manuel Fangio, pentacampeão mundial, pelo fato de ser argentino? Eu odiaria todos os franceses por que Alain Prost, tetracampeão e maior rival de Ayrton Senna nas pistas, é francês? Torceria o nariz também para todos os alemães por que Michael Schumacher, heptacampeão, não é lá um piloto que, pessoalmente, gosto muito?

Se F1 fosse apenas bandeira, se, ou quando, não houver mais brasileiros no grid eu não assistiria mais? Odiaria todos os espanhóis por que Fernando Alonso, bicampeão mundial, foi 1° e Massa, 2° piloto na Ferrari? Odiaria também todos os ingleses, por que em 2008 Lewis Hamilton, campeão, levou o título em cima de Massa?

A F1 não funciona assim. O que nos acorda domingo de madrugada ou de manhã, o que nos deixa ansiosos esperando a semana inteira por domingo, o que nos faz pensar/falar/respirar F1 o tempo todo não é torcida. Não é bandeira. É paixão por automobilismo!

O meu maior ídolo na F1 é brasileiro. Mas não é por causa da nacionalidade dele que o cara é o meu herói. Não foi o Ayrton que nasceu no meu país. Eu que tive a honra de nascer no país dele.

A F1 é esporte para aficcionados, não para torcedor de bandeira.

Corrida do Milhão 2014 – Fotos

Post sobre a corrida neste link

GOIÂNIA – 

1234615_10204293002347455_6710639156969774455_n 1235037_10204293036788316_31581252499797344_n 1459809_10204293001987446_1843802646195219707_n 1517683_10204293009707639_3609898429563883528_n 1551504_10204293002187451_5573665351756703747_n 1623719_10204293001667438_6028687495429894608_n 1800288_10204293008787616_990436701552396855_n 1907748_10204293010627662_8224148731889575560_n 1907764_10204293003387481_5792654552847531081_n 10384548_10204293003067473_3961346686606070441_n 10409587_10204293035708289_7586797146745344260_n 10460503_10204293010027647_7986213821292852729_n10462773_10204293003667488_5621353969975928048_n10487418_10204293010987671_3587725797283759188_n10488030_10204293002867468_1294390214390780505_n10524629_10204293009267628_427321036475099636_n10525861_10204293011307679_800864120881502106_n10527312_10204293036428307_7593475290136346291_n10532337_10204293002627462_3406852269967268158_n10537369_10204293034948270_8703164940383785822_n10552612_10204293011587686_9198962668679007741_n10552612_10204293035428282_2762065330627555557_n10568844_10204293035068273_7069877053380900757_n10569008_10204293036028297_1637309624080176533_n10582965_10204293008587611_3875211366654496044_o

A corrida é disputada (1)

Em referência a um texto do ano passado sobre a hegemonia do Vettel

GOIÂNIA – Quando a gente menos espera, a F1 nos lembra os motivos de sermos tão apaixonados por este mundo.

A corrida foi maravilhosa. O circuito canadense é um dos meus preferidos. O muro dos campeões é aquele que te deixa arrepiado todas as vezes que qualquer piloto encosta nele. Ainda mais quando é um campeão.

Depois de 20 corridas, ouvir qualquer hino que não fosse alemão foi um alívio. Ver então a primeira vitória de algum piloto é lindo. Primeira vitória é uma das mais gratificantes respostas ao esforço na F1. E é sempre bom saber que podemos continuar esperançosos quanto a incerteza do campeão da temporada.

Com as duas Mercedes largando na 1° fila o que esperávamos era Mercedes vencendo. A batalha seria pelo 3° lugar.

Mas além da RBR ter evoluído, a equipe alemã tinha problemas. Rosberguinho terminou a prova em 2°, e Hamilton teve que abandonar. Ricciardo e o seu imenso sorriso ocuparam pela 1° vez o ponto mais alto do pódio. Vettel, o tetracampeão, chegou em 3°.

Essa corrida foi tão fora do normal que até o Chilton perdeu sua sequencia e descobriu como é não terminar uma corrida. E levou seu companheiro junto.

Outra dupla que bateu e que roubou a atenção do final da corrida foi Massa e Pérez. O brasileiro estava fazendo uma ótima corrida, do naipe que estávamos esperando desde o começo da temporada. Chegou a liderar, tudo bem que foi só um pouquinho, mas mesmo assim mantém viva a nossa esperança. Quando estava para ultrapassar Sérgio Pérez na batalha pelo 4° lugar, o mexicano, ao invés de uma leve curva para a direita, se manteve reto, enquanto Massa, no traçado, tendeu para a direita. Por estar mais rápido, o brasileiro bateu no mexicano.

E foi assustador. Uma batida feia, daquele tipo que te deixa pensando nas piores coisas possíveis. Pérez foi rodopiando para a grama e bateu nos pneus. Vettel, 3° colocado, pouco à frente dos latinos, teve muita sorte de não ter sido atingido por Massa. O brasileiro passou reto na curva seguinte, foi para a área de escape e também bateu nos pneus.

tumblr_n6v87tUGHD1tbtrpjo1_500

Pérez foi punido com 5 posições na próxima corrida. Mas Massa, com o sangue latino que tem, não poderia ficar calado. Resolveu postar no instagram fotos que vilanizava o Pérez, e o vitimizava.

tumblr_n6xatdkmbb1rf49gxo2_500

Alguns pilotos (Massa, Alonso e Hamilton) parecem ter a necessidade de ter inimigos. Metem o pau nos outros sem pensar.

Pérez não foi punido? Então, qual a necessidade de atacá-lo nas redes sociais? Não precisa ser amigo do cara, mas para que ser inimigo? A FIA já é responsável pela punição. Essa obrigação é dela. Não de piloto. Ou de torcida.

A conclusão que chagamos é que o azar anda colado no Massa. Se não tivesse batido, poderia tentar ultrapassar Vettel e pegar um pódio. Mas existe uma fada do azar que tem acompanhados nossos conterrâneos faz mais ou menos 2 décadas. Talvez a melhor solução seja reservar uma vaga na Stock para 2015.

Ricciardo ganhou. Vettel foi terceiro. 2014 não está sendo fácil para o alemão. O tetracampeão nunca esteve tão longe de vencer um campeonato. É o 5° no mundial, enquanto o companheiro de equipe é 3°. Mas a está evoluindo e quem sabe ele até consegue beliscar uma vitória.

tumblr_n71km9LWDC1r2e0omo1_500

No mais, essa foi a melhor corrida da temporada. Provou que a F1 é uma caixinha de surpresas. A próxima corrida é um mistério. Estreia do Red Bull Ring. Outra surpresa ou Mercedes voltando com as dobradinhas?

Espero tudo e nada. Ansiosa, bastante ansiosa. Vai que, sei lá, o hino alemão toque com um hino indiano. Ou um hino dinamarquês com inglês. Ou um espanhol com italiano. Tanto faz na verdade. Quanto mais variados os hinos, mais bonita é a temporada.

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: